Perguntas e Respostas – Transtorno Obsessivo-Compulsivo


Perguntas e Respostas – Transtorno Obsessivo-Compulsivo (2014)
 - Como é possível detectar os pacientes com TOC no atendimento médico?  
O diagnóstico do TOC é realizado através de uma entrevista clínica, ou seja, não há um exame de imagem, de sangue etc que evidencie o diagnóstico de TOC, da mesma forma acontece com os outros transtornos mentais. O profissional de saúde deve se ater aos critérios diagnósticos estabelecidos pela OMS (CID-10) ou pela associação psiquiátrica americana (DSM-IV) para validar que o paciente tem os sintomas característicos do TOC, que seriam as obsessões (pensamentos intrusivos) e compulsões (rituais e repetições). 

- São conhecidas todas as causas dos Transtornos Obsessivos Compulsivos?  
Não, os estudos atualmente caminham para a explicação de que vários fatores interagem para o aparecimento do TOC, sendo mais evidente a relação do TOC com fatores de natureza biológica, envolvendo aspectos genéticos, neuroquímicos cerebrais, lesões ou infecções cerebrais, fatores psicológicos e até mesmo culturais.  

- Todos os pacientes que sofrem de TOC apresentam simultaneamente sintomas obsessivos e compulsivos?  
O TOC se caracteriza pela presença de ambos os sintomas, obsessão e compulsões, mas alguns pacientes podem apresentar obsessões puras (somente os pensamentos intrusivos). É importante frisar que o TOC é um transtorno crônico que acompanha a pessoa no decorrer da sua vida e sofre flutuações tanto em relação a frequência, intensidade quanto em relação ao temas de suas preocupações obsessivas, desta forma, o portador pode vivenciar ao longo da vida simultaneamente ou não os sintomas obsessivo-compulsivos (SOCs), mas geralmente vivencia os dois, sendo as compulsões muitas vezes uma maneira de “aliviar ou neutralizar” os pensamentos que não saem da mente.
 

 As pessoas que sofrem de Transtornos Obsessivos Compulsivos, em sua maioria, são conscientes do caráter anormal de seu comportamento? 
Acredita-se que grande parte sim. É bastante comum o portador sentir um estranhamento por vivenciar tais pensamentos e reconhecer a característica ilógica das obsessões. Porém há uma parcela relativa de pacientes que não tem insight (consciência/entendimento) sobre a doença e por isso encontram mais dificuldade de lidar com os SOCs.

 - Os Transtornos Obsessivos Compulsivos são uma doença familiar? Atualmente há achados científicos que apontam que há uma relação genética para o TOC, sendo bastante comum a manifestação de sintomas que têm semelhança com o TOC (sintomas do espectro obsessivo-compulsivo) em diferentes pessoas de uma mesma família. É importante ressaltar que para qualquer pessoa, o desenvolvimento emocional e o aprendizado que é vivenciado em família (e em vários outros ambientes) influencia na construção de nossa personalidade e hábitosentão é sempre interessante envolver a família no tratamento para que todos possam ter a possibilidade de melhor qualidade de vida. 

Os Transtornos Obsessivos Compulsivos podem desaparecer sem tratamento?  
O TOC apresenta menor probabilidade de remissão(desaparecimento ou diminuição relevante) espontânea se comparado a transtornos como o T. do Panico e a Fobia Social.  Desta forma, é bastante concreta a necessidade de acompanhamento médico psiquiátrico e psicológico de abordagem cognitivo-comportamental para o desaparecimento do TOC.

 - Qual é a duração normal do tratamento?  
A duração do tratamento depende da evolução de resposta de cada paciente. A princípio o paciente demorará em média 3 a 4 meses para avaliar os efeitos iniciais esperados da medicação e de 2 a 3 meses para experimentar os primeiros ganhos com a terapia cognitivo-comportamental, a partir daí será necessário a continuidade do tratamento conforme as queixas do paciente. Enfatizando que o TOC é um transtorno crônico, o que pode sugerir o uso de medicação por tempo prolongado e da realização frequente no dia a dia das técnicas comportamentais aprendidas durante a terapia. 

Angélica Prazeres
Psicóloga (CRP: 05/33667)
nodivaeletronico.blogspot.com       
angelicaprazeres@gmail.com
     Skype:angelicaprazeres

 #Empodere-se

Clique aqui para ler mais sobre TOC

Postagens mais visitadas deste blog

Essa tal felicidade...

Passivo, Assertivo ou Agressivo?